Sobre a incrível Amazon e o Kindle

Hoje você lerá uma história que tem um final consideravelmente feliz. Como se trata da relação entre consumidor e empresa, é algo realmente interessante de ser compartilhado, afinal a gente desenvolve quase todos os dias esse namorinho e geralmente tomamos um pé na bunda, né? Então se liga nas dicas pra não ser trouxa (ou pelo menos se inspira, miga).

Eu tinha um Kindle. Comprei há uns três anos o mais basiquinho porque queria saber como seria ler livros digitais. Nós tivemos uma linda história de amor até ele pifar sem mais nem menos em 2015. Fiquei bastante chateada porque costumava ser um objeto muito caseiro e nem ao menos viveu altas aventuras na vida para ter tido uma jornada curta. Mas acontece, né? Nas piores famílias. Porém eu não estava consolável com sua morte, então entrei em contato com a Amazon e expliquei o triste ocorrido. Sei que não estava mais na garantia, mas deu aquela sensação chata de eu ter investido num produto de qualidade e ele ter tido uma vida útil com validade curta, na minha opinião. Fiquei me sentindo muito trouxa (pra mim coisa boa só no mundo de Harry Potter) e por isso quis desabafar minha angústia com a Amazon.

Infelizmente grande parte das empresas tem um pós-compra bem sucateado, não é? Pois bem. Lembro que falei com umas três atendentes da Amazon até a gente chegar a algum consenso. Dei os dados da minha conta do Kindle e elas tentaram resolver o problema desde a central. Eu só conseguia ver 25% do livro que estava lendo e o restante tinha ficado paralisado com a propaganda do Kindle, esse era o defeito. Tipo um derrame, sabe? Sei lá. Devo salientar que todas as meninas foram muitíssimo atenciosas e o sotaque delas era impagável: um português esquisito. Lembro-me de que perguntei de onde elas eram, mas não consigo recordar. Algo na América Central? Anyway. A última pessoa a falar comigo parecia ter mais autonomia e o que ela fez foi me conceder um vale presente de R$ 100 na Amazon. Assim eu poderia comprar ebooks ou, o que eu mais queria, um novo Kindle. É que quando liguei interroguei sobre um Kindle do meu modelo, antiguinho, mas que satisfazia minha necessidade (e meu bolso, risos), porém ela falou que ele já tinha saído de linha e acho que por isso sugeriu esse presentinho meio que como um pedido de desculpas.

Confesso que esse vale presente demorou a “cair na minha conta”, e quando vi os novos Kindle não tinha grana nem tempo para receber na minha antiga casa, daí acabei deixando o vale presente lá, me esperando por um tempo. Logo, em um belo dia da semana passada estava olhando uns títulos na Amazon e cliquei num livro que eu tinha gostado. Apesar de ele ser pago (afinal sou a rainha das coisas gratuitas na internet), consegui comprar com apenas um clique, e antes de achar que tinha hackeado sem querer o site, lembrei que eu estava usando o meu presentinho, HAHA.

Acabei torrando os cem reais virtuais em ebooks sensacionais e ainda me senti super bem porque comprei livros de gente que eu adoro e que tenta trazer conteúdos geniais (e quase sempre gratuitos) para a internet. Ou seja, investi na galera. I feel awesome.

Moral da história: se você está insatisfeita com alguma coisa, corre para reclamar, miga. Com muita classe, claro, porque os atendentes só representam a empresa e tadinhos, nem merecem a nossa raiva, sabe? Vai, vai que dá. Mais frequentemente do que eu gostaria, eu percebo que evitamos entrar em discussões com as empresas porque sabemos que nunca dá em nada. Mas como você viu, não é bem assim.

Que a gente mude essa nossa cultura de levar no PREJU porque as empresas devem nos respeitar, tá bem? Então tá bem, como diria a diva Jout Jout. Afinal, lembremo-nos de que elas só existem por causa, isso mesmo, de mim e de você.

Para finalizar obviamente indico demais a Amazon (porém já estou de saco cheio com o tanto de e-mails que recebo por dia depois de ter feito as compras, haha). Vocês arrasaram, gente! Muito obrigada.

E vocês? Já usaram Kindle ou compraram algo na Amazon? Também têm alguma história bonita com empresas para contar? É sempre bom saber quem merece nosso suado dinheirinho, né?

Post scriptum: Gente, continuo pobre. Não ganhei um centavo para escrever o post. Ah vai, ganhei cem reais da Amazon, mas no contexto supracitado, HAHA. ❤

24307105512_8b7fbe470b_o

#A foto acima foi tirada em Santiago, Chile, em alguma pracinha maravilhosa de lá. Ilustra a vida de voltar para os livros de papel, embora eu já tenha virado a louca dos ebooks de novo#

Anúncios

12 comentários Adicione o seu

  1. Como diz minha mãe: “quem tem boca vai a Roma”, ou Chile, enfim, você entendeu hahahaha Eu li um livro em ebook e decidi que ainda manterei o vício no papel, mas já conheci muitas pessoas que estão completamente apaixonada pelos Kindles delas *-*

    Curtido por 1 pessoa

    1. HAHAHAHA, AMEI ❤ HAHAHA. Pois é, eu tbm era deveras apegada, mas livro é pesado e quem vive nesse mundo com mala nas costas pra carregar acaba tendo que aceitar a tecnologia do Kindle, HAHA. Como continuo querendo ler, preciso me adequar a minha nova realidade. Hoje em dia minha estante de livros tem papel é composta por 5 exemplares! #sad Mas já tenho um monte de ebook, HAHA. Brigada por vir aqui :3

      Curtido por 1 pessoa

  2. ops, livros de papel* ALOKA

    Curtir

  3. anacamina disse:

    Eu tenho um Kindle que comprei por causa de tanto texto que tinha que ler pro TCC da faculdade e AMO! Não se compara a ler um livro no papel, mas é maravilhoso! Se acontecer algo com o meu com certeza vou comprar outro. 🙂
    Que bom que sua história teve um final feliz.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Sim! E que bacana que a Amazon arrasa, né? Sempre bom ser um consumidor satisfeito. Eu comprei porque queria menos pesos na mochila e acabei gostando, embora ler livro no papel tenha sua magia.
    Valeu por chegar por aqui ❤

    Curtir

  5. Danielle S. disse:

    Confesso que tinha um pouquinho de preconceito contra o Kindle porque gosto de pegar o livro, virar as páginas, sentir o cheirinho… Sei lá, sou meio old school nesse quesito (logo eu, que adoro novas tecnologias, vai enteder hahahaha). Só que, ultimamente, tenho desejado cada vez mais um Kindle, porque tenho uma infinidade de livros que quero ler e estou ficando sem espaço para guardar livros, hahahaha! Fora que é bem mais prático para levar no transporte público e dá pra ler com uma mão só (imagina carregar na bolsa um livro de 500 páginas e ainda tentar ler em pé, impossível né), hehe.
    E a Amazon é demais! Não realizei nenhuma compra na loja brasileira, mas, nas poucas vezes que tive um problema, eles resolveram rapidamente (seja mandando outro produto ou devolvendo o dinheiro) 🙂

    Curtir

    1. Ai, eu adorei o Kindle na longa época que tive. Uso um app agora no celular (que tbm me satisfaz MUITO). Uma coisa que opino é que ter Kindle não é deixar de lado livro de papel: você continua querendo suas lindas coleções na prateleira e também comprando livros ilustrados, edições especiais, etc. Mas é muito prático, sobretudo pra quem anda de ônibus ou viaja muito. Na época eu era nômade e vivia na casa do pai, mae e namorado, então vivia pra lá e pra cá. Vale a pena demais e tem muito livro bacana e até gratuito por aí <3. Além do mais o custo de comprar ebook cai bastante em relação aos de papel, como realmente deveria ser. Enfim, só tem vantagem e não vejo como algo que concorre com a delícia e magia de se ter um livrinho novo pra cheirar! HAHA ❤

      Curtir

  6. Letícia Luz disse:

    eu AMO o meu kindle! Foi a melhor aquisição da vida! Está sendo um prazer pagar as 10 prestações, haha. E o mais legal é a possibilidade de pagar uma quantia por mês e ler vários livros, achei muito bacana, mas por enquanto estou lendo os 6572332 livros gratuitos e artigos que baixei sonhando com o meu. Você precisa comprar um novo! ❤

    Curtir

    1. HAHAHAHA, sei como é, miga. Sim, quero bastante! Mas por enquanto ainda consigo ler pelo meu celular de boa. Quando sobrar alguma graninha eu penso na nova aquisição. Me conta… Onde você guarda seus livros virtuais? Num Google Drive, Dropbox ou dentro da tua conta Kindle? Os que eu comprei não consigo dividir com as pessoas, ou ainda não sei fazer isso. Mas tenho outros que baixei gratuitamente por aí no meu Drive. Depois a gente podia mostrar a prateleira da outra, haha. Que feliz que veio aqui! Bienvenida! ❤

      Curtir

      1. Letícia Luz disse:

        na verdade, acho que ainda não comprei nenhum livro, mas eu baixo daqui ó: http://lelivros.website/

        é bem legal! Eu achei esse site por acaso, é porque de início a ideia era usar o kindle pra ler artigos e dissertações – que é o que eu mais tenho arquivado, além de um ebooks aleatórios sobre mídias sociais. É que eu fiquei um bom tempo sem ler livros a não ser os da faculdade, aí desaprendi. Agora com o kindle to voltando aos poucos.

        Sim! O meu seria mais um amontoado de papéis do que uma estante, mas eu super topo! Vou ver como anda a situação da minha e a gente troca!

        Curtido por 1 pessoa

  7. Tou na mesma! HAHA. Beijo e brigada pelo site! Vou favoritar logo aqui. ❤

    Curtir

Vai ser incrível um comentário seu por aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s